Aconteceu na tarde desta sexta-feira, 16 de novembro, o lançamento do livro “Agropecuária: vocação rio-grandense de todos os tempos”, com o escritor Alcy Cheuiche e o engenheiro agrônomo, Floriano Isolan. A obra foi concebida para valorizar a área, considerada uma atividade basilar da economia gaúcha, mas também científica e cultural, e que está retratada na obra a partir também dos costumes e símbolos gaúchos. A edição foi produzida em comemoração aos 25 anos do Senar-RS. Patrono da Feira do Livro de 2006, Cheuiche vai reverter todo o valor das vendas dos livros que autografar para a Câmara Rio-Grandense do Livro. 

A publicação é simultânea em espanhol e trata-se de uma homenagem aos vizinhos do Prata pela riqueza do intercâmbio rural praticado há mais de dois séculos, num diálogo franco entre os produtores de nossos países. A obra narra fatos, registra depoimentos, mostra em fotos e resgata, nos documentos, ampla visão da história do campo.


Cheuiche começou a mesa declamando um poema sobre o chimarrão, ganhando aplausos da plateia presente. Apresentou o amigo Floriano Isolan e que também foi seu colega de faculdade, Floriano Isolan. Alcy, entretanto, fez veterinária, e Isolan, agronomia. Alcy esclarece que eles trabalharam com o objetivo de explicar por que o Rio Grande do Sul tinha essa vocação. O livro, então, explora muito da história de formação do Estado misturando a poesia das lendas com a pesquisa científica. Isolan afirma que é “um livro muito diferente porque obras desse tipo normalmente são muito técnicas, mas aqui se consegue mesclar a lenda e a história do Rio Grande do Sul também. O agrônomo escreveu sobre soja e a área florestal.

Sobre o processo de pesquisa, Cheuiche coloca que “algumas pessoas podem ficar surpreendidas por eu ter conseguido escrever um livro como este em apenas um ano. Acontece que, de 1981 a 2014, ou seja, durante 33 anos fui diretor da revista de ensino pós-universitário A Hora Veterinária, com ampla penetração em todo o Brasil. Assim, minha maior atuação como médico veterinário foi na área de comunicação científica, o que me facilitou imensamente a pesquisa deste livro”. O escritor é autor do romance histórico Sepé Tiaraju (com muitas edições em português e algumas em espanhol e alemão), o que o levou a conhecer o papel essencial dos 130 anos de existência dos Sete Povos das Missões no pionerismo em solo gaúcho da criação de gado bovino e ovino, do plantio da videira, do primeiro trigo, da domesticação da erva mate, entre outras atividades descritas nesta obra.

Texto – Rafael Gloria

Fotos – Diego Lopes

Posts Relacionados

Deixe uma resposta