Com a imensidão continental do Brasil, são raras as vezes em que os gaúchos podem ter contato com a reconhecida literatura de cordel. Reconhecida patrimônio cultural imaterial do Brasil, a atividade vem se atualizando à contemporaneidade sem perder a tradição.

Até 18 de novembro, os visitantes da 64ª Feira do Livro de Porto Alegre podem ter contato com dezenas de exemplares de mais de 50 autores trazidos da Paraíba, berço do cordel, na Cordelteca Leandro Gomes de Barros, projeto itinerante nomeado em homenagem ao autor pioneiro. O espaço está localizado da Biblioteca Moacyr Scliar, no térreo do Memorial do RS.

Para Kátia de Monteiro, filha do grande cordelista Manuel Monteiro, o cordel vem saindo das feiras populares para as salas de aula, abordando temas diversificados atualmente, como a ecologia e o protagonismo da mulher. “O papel do cordel continuar a ser o de trazer a notícia, a informação e a formação, porque ele sempre teve esse papel, ele era conhecido como jornal do povo. Apesar do imediatismo da internet, o cordel continua informando, mas com senso crítico”, destaca.

Dessa forma, a atividade se atualiza, mas sempre mantendo a tradição e atraindo novos autores, como é o caso de Leila Freitas, que começou a escrever a partir de sua atuação na sala de aula.  “Tem que ter um vocabulário, uma pesquisa extensa de acordo com o tema que você está escrevendo. O cordelista é considerado bom se ele aprofundar a língua portuguesa”, explica Leila, autora de títulos como “Clara e o Futuro da Terra” e “As duas moedas de ouro de Bento”.  

A programação da Paraíba foi idealizada pelas professoras Ione Severo (gerente regional de Educação da Secretaria de Estado da Educação da Paraíba, em Pombal), e  Joseilda de Souza Diniz (consultora de Cultura e Curadora na Pró-Reitoria de Cultura da Universidade Estadual da Paraíba),  que estão na feira para uma série de atividades no sábado (3). Confira a programação do dia:

  • 17h30min às 18h20min

           A imagem feminina na Literatura de Cordel com Marlon de Almeida. Público: professores, bibliotecários e outros interessados

  • 18h30min às 20h30min

Sarau Literatura de Cordel. Participação especial: Joseilda de Souza Diniz, Ione Severo, Leila Freitas, Kátia de Monteiro da Silva Braga e Jô Oliveira

Texto – Thaís Seganfredo
Fotos – Pedro Heinrich



Posts Relacionados

Deixe uma resposta