Foto: Carin Mandelli

Um dos nomes mais requisitados pelo público, Martha Medeiros autografa “Quem diria que viver ia dar nisso” (L&PM Editores, 2018) no dia 7 de novembro, às 17h30min, na Praça de Autógrafos. A coletânea de crônicas reúne textos que dão a cara para bater ao falarem de aborto, de arte, de assédio. Mas que, por mais despudorados que sejam, são repletos de amor, humor, calor humano.

Martha Medeiros nasceu em Porto Alegre em 20 de agosto de 1961 e é formada em Comunicação Social. Como poeta, publicou “Strip Tease” (Brasiliense, 1985), “Meia-Noite e Um Quarto” (L&PM, 1987) “Persona Non Grata” (L&PM, 1991), “De Cara Lavada” (L&PM, 1995), “Poesia Reunida” (L&PM, 1999) e “Cartas Extraviadas e Outros Poemas” (L&PM, 2001). Em maio de 1995 lançou seu primeiro livro de crônicas, “Geração Bivolt” (Artes & Ofícios), onde reuniu artigos publicados em Zero Hora e textos inéditos. Em 1996 lançou o guia “Santiago do Chile, Crônicas e Dicas de Viagem”, fruto dos oito meses em que viveu na capital chilena. Seu segundo livro de crônicas, “Topless” (L&PM, 1997), ganhou o Prêmio Açorianos de Literatura.

É autora dos best-sellers “Trem-Bala”, “Doidas e Santas” e “Feliz por Nada”. Seu romance “Divã”, lançado pela editora Objetiva, já vendeu mais de 50.000 exemplares e também virou peça de teatro, com Lilia Cabral no papel principal. Martha ainda escreveu um livro infantil chamado “Esquisita Como Eu”, pela editora Projeto, e o livro de ficção “Selma e Sinatra”. É colunista dos jornais Zero Hora e O Globo, além de colaborar para outras publicações.

 

 

Quem diria que viver ia dar nisso
Martha Medeiros
232 páginas
14cm X 21cm
978-85-254-3735-8
L&PM Editores

Posts Relacionados

Deixe uma resposta