Comissão organizadora da Feira do Livro de Porto Alegre se reúne com representante da Embaixada da Suécia

Na manhã da última terça-feira, dia 23, representantes da comissão organizadora da 63ª Feira do Livro de Porto Alegre receberam na Câmara Rio-Grandense do Livro a conselheira de Promoção e Comércio da Embaixada da Suécia, Cecilia Lif (à direita na foto). Durante o encontro, foram levantadas sugestões de atividades e nomes de escritores para integrar a comitiva representante dos países nórdicos, região homenageada pelo evento.

Participaram Jussara Rodrigues, o presidente da CRl Marco Cena e Sandra La Porta.

Confira os autores selecionados para o Programa de Leitura Adote um Escritor 2017

Marie Ange Bordas, Fábio Monteiro e Selma Maria participam do Adote um Escritor em 2017

Confira quem são os autores agendados para participarem da 16ª edição do Programa de Leitura Adote um Escritor. Serão realizados 130 encontros durante a 63ª Feira do Livro de Porto Alegre, que acontece de 1º a 19 de novembro de 2017.

Autores residentes no RS

André Neves
Christina Dias
Dilan Camargo
Gláucia de Souza
Helô Bacichette
Laura Castilhos
Léia Cassol
Kalunga
Contação de histórias com Valquiria Cardoso e Alex Limberger
Mônika Papescu
Martina Schreiner
Alexandre Brito
Celso Gutfreind
Celso Sisto
Cláudio Levitan
Ernani Ssó
Maíra Suertegaray
Mario Pirata
Marô Barbieri
Pablo Morenno
Caio Riter
Christian David
Simone Saueressig
Airton Ortiz
Altair Martins
Ari Riboldi
Cássio Pantaleoni
Charles Kiefer
Contação de histórias com Jairo Klein
Contação de histórias com Bárbara Camargo
Juremir Machado da Silva
Liberato Vieira da Cunha
Luis Dill
Marcelo Spalding
Rafael Guimaraens
Ricardo Silvestrin
Santiago
Valesca de Assis

Autores residentes em outros estados

Alessandra Pontes Roscoe
Alexandre de Castro Gomes
Blandina Franco e José Carlos Lollo
Laurent Cardon
Ninfa Parreiras
Patrícia Auerbach
Rosinha
Sônia Barros
Sônia Rosa
Daniel Kondo
Daniel Munduruku
Fernando Nuno
Flávia Côrtez
Heloisa Prieto
Ieda de Oliveira
Ilan Brenman
Janaina Tokitaka
Jô Oliveira
Júlio Emílio Braz
Luiz Antônio Aguiar
Manuel Filho
Rogério Andrade Barbosa
Rosana Rios
Shirley de Souza
Silvana Salerno
Telma Guimarães Castro Andrade
Diléa Frate
Dílvia Ludvichak
Edna Bueno
Fábio Monteiro
Gloria Kirinus
Marie Ange Bordas
Nireuda Longobardi
Selma Maria
João Pedro Roriz
Tiago de Melo Andrade
Arievaldo Viana
Otávio Jr.

Ieda de Oliveira encontra seus pequenos leitores e autografa na 63ª Feira do Livro de Porto Alegre

No dia 16 de novembro de 2017, a escritora e compositora carioca Ieda de Oliveira tem agenda cheia na 63ª Feira do Livro de Porto Alegre. Pela manhã, participa de encontro com alunos do Ensino Fundamental no ciclo O Autor no Palco, no Teatro Carlos Urbim. À tarde, tem encontro com alunos em escola municipal de Porto Alegre pelo Programa de Leitura Adote um Escritor. E às 19h, autografa “Danças do Brasil: Folclore em versos” (Ed. Zit), na Praça de Autógrafos.

Ieda de Oliveira é Doutora e Mestre em Letras e Especialista em Literatura Infantil e Juvenil. Por sua obra recebeu, entre outros, o Prêmio José Guilherme Merquior de Critica Literária, o Prêmio Adolfo Aizen de Literatura Infantil, foi finalista do Prêmio Jabuti de Literatura Juvenil, do Prix Espace Enfants, na Suíça, e foi selecionada para o catálogo White Ravens, onde estão os melhores autores infantis e juvenis do mundo. Por várias vezes recebeu o selo Altamente Recomendável da FNLIJ.

Heloisa Prieto participa do Programa de Leitura Adote um Escritor e do Autor no Palco

Um dos destaques da programação infantil e juvenil da 63ª Feira do Livro de Porto Alegre, Heloisa Prieto participa do Programa de Leitura Adote um Escritor nos dias 13 e 14 de novembro, pela manhã. Na tarde do dia 13, encontra estudantes no ciclo O Autor no Palco do Teatro Carlos Urbim.

Heloisa é autora de 77 títulos de ficção e fantasia, vários deles adaptados para o cinema, teatro e televisão. Tradutora, doutora em teoria literária, mestra em comunicação e semiótica, desenvolve oficinas de criação literária para jovens e crianças em diferentes instituições. Possui vários prêmios literários, pesquisa mitos e lendas não apenas nas versões arcaicas, como também no entrelaçamento cultural do universo contemporâneo juvenil. Em 2016, teve obras selecionadas para o catálogo internacional da Feira de Bolonha: “A fonte de esquecimento” e “No meio da multidão – como encontrar seu poema”, lançados respectivamente pelas editoras Edelbra e Namida.

 

A face global da 63ª Feira do Livro de Porto Alegre

Wole Soyinka

Entre os dias 1º e 19 de novembro, a Praça da Alfândega, Centro Histórico de Porto Alegre, será o ponto de convergência de escritores de muitos países e de culturas diversas. Pela primeira vez, a Câmara Rio-Grandense do Livro (CRL) estabeleceu uma parceria com a Bienal do Mercosul, resultando em atividades pautadas pelo tema do Triângulo do Atlântico: o encontro entre África, América e Europa. O evento de artes visuais acontece apenas em 2018, mas vai se fazer presente na capital gaúcha já com a Feira do Livro de 2017. A visita do nigeriano Wole Soyinka (foto), primeiro africano a conquistar o Nobel de Literatura em 1986, é resultado dessa parceria. O dramaturgo, romancista e poeta participa de conferência no dia 4 de novembro.

Wole Soyinka

Atualmente com 82 anos, Soinka foi preso na década de 1960 por tentar mediar a guerra civil nigeriana. Seu ativismo político persiste ainda hoje com suas denúncias ao grupo extremista islâmico Boko Haram – que alcançou o noticiário internacional em 2014 ao sequestrar mais de 260 meninas e utilizá-las como moeda de troca para exigir a libertação de milicianos presos, além de submetê-las a estupros e torturas.

Literatura nórdica em pauta

A 63ª Feira do Livro de Porto Alegre vai expandir suas fronteiras também sobre outra região de cultura forte e influente. Neste ano, os países nórdicos serão homenageados pelo evento e sua literatura vai pautar muitos encontros e atividades. A homenagem à cultura nórdica é muito oportuna: em anos recentes, a região tem originado best-sellers como a Trilogia Millennium, ou como os romances de Karl Ove Knausgard, e conquistado leitores e elogios da crítica em todo o mundo. Está em negociação a visita de uma comitiva de escritores da região, formada por Dinamarca, Suécia, Finlândia e Noruega.

Ondjaki. Crédito: Michael Hughes.

Entre outros destaques da programação, estão o do angolano Ondjaki (foto), do humorista português e colunista da Folha de São Paulo Ricardo Araújo Pereira, além das brasileiras Conceição Evaristo e Marie Ange Bordas.

 

Câmara Rio-Grandense do Livro divulga balanço da 62ª Feira do Livro de Porto Alegre

 

A Câmara Rio-Grandense do Livro (CRL) divulgou às 18h da terça-feira, 15 de novembro, o balanço de encerramento da Feira do Livro deste ano. A coletiva de imprensa aconteceu na Biblioteca Moacyr Scliar, andar térreo do Memorial do Rio Grande do Sul (Rua Sete de Setembro, 1020, Praça da Alfândega – Porto Alegre/RS). Durante os 19 dias do evento, foi registrada queda de 19% na quantidade de livros comercializados em comparação com o ano anterior. No período, cerca de 1,4 milhão de pessoas frequentou o evento, contra 1,5 milhão em 2015, segundo estimativas da própria CRL.

De acordo com o presidente Marco Cena, o índice não pode ser visto isoladamente porque reflete o cenário nacional do mercado de vendas de livros em 2015 e 2016: “Neste ano, esperávamos até mesmo uma queda maior”.

Em 2016, a Feira do Livro de Porto Alegre contou com 93 expositores na área geral, 12 na área infantil e 6 na área internacional – incluindo o estande dos Açores, região homenageada pelo evento (contra 90, 15 e 8 em 2015, respectivamente). A comitiva de nove escritores açorianos promoveu uma dezena de atividades e resultou na comercialização de 379 exemplares.

Foram autografados 727 títulos com a participação de mais de dois mil autores, tanto na Praça de Autógrafos quanto no primeiro andar do Memorial do RS.

A programação para adultos, que contemplou a diversidade e a multiplicidade de perspectivas e visões de mundo, recebeu mais de 17 mil pessoas. Foram realizadas mais de 300 atividades gratuitas, tanto na Feira quanto em atividades paralelas. A Área Infantil e Juvenil recebeu mais de onze mil alunos de escolas do município e do estado das redes pública e privada, em encontros com autores de todo o Brasil. Comparando com a Feira do ano passado, a grade de programação da Área Infantil e Juvenil deste ano ofereceu mais atrações educativas e culturais, superando a meta esperada.

A 62ª Feira do Livro de Porto Alegre ocorreu de 28 de outubro a 15 de novembro e foi uma realização da Câmara Rio-Grandense do Livro em parceria com Ministério da Cultura e Secretaria de Estado da Cultura. Patrocinadores máster: Braskem, Celulose Riograndense, Grupo Zaffari e BNDES. Patrocínio da Área Infantil e Juvenil: Petrobras. Banco Oficial da Feira: Banrisul, Seja Vero. Apoio Especial: Prefeitura de Porto Alegre. Financiamento: Pró-cultura RS, Secretaria de Estado da Cultura, Governo do Estado do Rio Grande do Sul.

Chega ao fim mais uma edição da Feira

isb_4380
isb_4380

Cortejo partiu do Teatro Carlos Urbim e percorreu toda a Praça da Alfândega                        Crédito das fotos: Íris Borges

 

A música do acordeon e violão dava o tom de despedida da 62ª Feira do Livro de Porto Alegre, que parte da Área Infantil e Juvenil. Ao ritmo da trilha, os livreiros, aos poucos, recolhiam as obras em caixas enquanto recebiam as rosas ofertadas pela patrona Cintia Moscovich, pelos integrantes da direção da Câmara Rio-Grandense do Livro e demais colaboradores.

Após percorrer por toda a Praça da Alfândega cantando a tradicional marchinha, o cortejo se encontrou com o Afoxé do Ponto de Cultura Ilê Axé Cultural (ASSOBECATY) na Praça de Autógrafos.

 

isb_4406

Patrona Cintia Moscovich e o presidente da CRL Marco Cena cantam a tradicional marchinha de despedida

 

isb_4477

Livreiros e público receberam rosas da organização da Feira do Livro

 

 

 

 

 

 

 

 

A literatura sobre o que não vemos

Discussão sobre o processo criativo, o idioma e a linguagem, entre outros temas, foram debatidos nesta terça, dia 15, pelo escritor Patrick Chamoiseau. Nascido em Fort-de-France, na Martinica, ele é autor de romances, contos e ensaios, além de já ter escrito para teatro e cinema.

Ele explicou, no encontro mediado por Vanessa Schmitt, que a base de sua escrita não é biográfica, mas literária, levando em conta a descrição de sua trajetória como escritor e sua relação com a língua crioula e francesa. “Para um escritor, o determinante não é a língua, mas a linguagem”, acentou.

Com o auditório Barbosa Lessa do Centro Cultural CEEE Erico Verissimo (CCCEV) lotado, Chamoiseau conversou sobre seu interesse pela etnografia, sobretudo pela crioula e outros grupos que não tiveram sua memória valorizada. “O objetivo da literatura não é apenas descrever o que vemos, mas também aquilo que não vemos. A literatura está próxima daquilo que não pode ser formulado”, comentou.

 

 

O escritor destacou ainda que, para contar história da Martinica, é preciso fazê-la não sob o ponto de vista colonial, mas analisando a história da escravidão, dos ameríndios e a trajetória dos imigrantes. Isso para que os pontos de cruzamento e afastamento sejam esclarecidos e todas as narrativas sejam levadas em conta.

Chamoiseau teve reconhecimento em 1992, quando recebeu o Prêmio Goncourt pelo romance Texaco sobre  três gerações distintas, da escravidão aos dias atuais.

Priscila Pasko

A “vida em rosa” na Feira do Livro

 

Édith Piaf, a mais famosa cantora francesa, foi homenageada no dia de encerramento da Feira do Livro. Grandes sucessos eternizados por ela como “La Vie en Rose”, “Non, je ne regrette rien”, “l’Hymne à l’amour” e  “Milord” foram interpretadas pela gaúcha Tássia Minuzzo.

Admiradora por música francesa, Tássia venceu, em 2009, o Festival da Canção Francesa, promovido pela Aliança Francesa de Porto Alegre. Nesta tarde, no “Tributo à Piaf”, ela foi acompanhada pelo acordeonista Matheus Kleber.

 

 

“Paixão, drama e amor estão nas canções que vamos apresentar”, esclareceu Tássia à plateia da Tenda de Pásargada na tarde deste feriado de 15 de novembro.

O público, que lotou a Tenda na tarde deste feriado de 15 de novembro, vibrou com os  clássicos franceses na voz de Tássia que lembrava a mesma paixão de Piaf ao microfone.

Beth Nunes

Bate-papo reúne autores que apostaram em novas formas de financiamento coletivo

isb_3974
isb_3974

Autores Vitor Ortiz e Amaro Abreu falaram sobre suas experiências de financiamento coletivo

 

Hoje, os autores Vitor Ortiz e Amaro Abreu falaram sobre suas experiências de financiamento coletivo para produção editorial de seus livros Histórias de Viamão e Habitat, respectivamente. Ambos foram editados pela Libretos. O encontro aconteceu na 62ª Feira do Livro de Porto Alegre, na Sala O Retrato do Centro Cultural CEEE Erico Verissimo. Após, ocorreu a sessão de autógrafos na Praça Central.

Histórias de Viamão – Histórias do Rio Grande (Libretos, 156 páginas), do viamonense Vítor Ortiz, apresenta uma síntese do conturbado contexto político da Velha República na antiga capital gaúcha. A obra – que procura investigar os reflexos causados em Viamão pela Revolução Federalista (1893) e o Levante Maragato (1923), as duas guerras civis que abalaram o Rio Grande entre a Proclamação da República (1889) e a Revolução de 1930 –  foi integralmente patrocinado por um sistema de apoio e venda antecipada chamado crowdfunding.

“Essas novas experiências de financiamento coletivo (Catarse, Kickante, entre outros) são a grande saída para muitos artistas, já que temos tido uma perda nas leis de incentivo e as editoras são muito fechadas a novos trabalhos. Além disso, esses projetos são legais porque envolvem pessoas, que divulgam e acompanham o nascimento de uma obra”, disse Abreu.

Ao todo foram impressos 2 mil exemplares, dos quais 1.200 foram vendidos antecipadamente. Assim como Ortiz, Amaro também também financiou sua obra com essas novas ferramentas de financiamento.

 

 

 

 

1 2 3 17