Confira os destaques da 64ª Feira do Livro de Porto Alegre

Um mundo na praça. Com abertura marcada para o dia 1º de novembro, a 64ª Feira do Livro de Porto Alegre vai ocupar a Praça da Alfândega, Centro Histórico da capital gaúcha, com 104 bancas de livros (85 na Área Geral, 13 na Área Infantil e seis na Área Internacional – esta, em frente ao Margs). O evento terá 9 mil m² de área total e 6 mil m² de área coberta e uma programação cultural com mais de 800 atividades gratuitas entre oficinas, mesas de debate, palestras e espetáculos teatrais. Estão previstas mais de 650 sessões de autógrafos com mais de dois mil autores. Neste ano, a República Tcheca é o País Convidado de Honra, que vai contribuir com estande próprio na Área Internacional e diversificada programação nos primeiros quatro dias do evento.

Confira aqui: http://bit.ly/republicatchecanafeira

Os feminismos na Feira

Um dos principais eixos de programação vai tratar do protagonismo, da diversidade e da representatividade feminina na literatura, com a participação de autoras de países tão distintos como Ruanda (Scholastique Mukasonga, 10 de novembro), França (Paula Anacaona, 17 de novembro) e Noruega (Marta Breen e Jenny Jordahl, 17 de novembro).

As atividades estão listadas aqui: http://bit.ly/osfeminismos

Política e História

Outro eixo da programação vai dedicar-se à política, História, neoliberalismo, cidadania e meio ambiente, reunindo autores como Alcy Cheuíche, Rafael Guimaraens, André Marenco, Juremir Machado da Silva e Dulce Helfer, em torno de temas atuais como os protestos de 2013, o avanço neoliberal dos anos recentes e os 50 anos de Maio de 1968.

Saiba mais: http://bit.ly/politicaehistorianafeira

Destaques da programação

A carioca Marta Lagarta (4 de novembro), o australiano Stephen Michael King (5 denovembro), o historiador Rodrigo Trespach (6 de novembro), Monja Coen (8 de novembro), o cantor e compositor Sérgio Reis (8 de novembro), a ruandesa Scholastique Mukasonga (10 de novembro), o quadrinista Edgar Franco (11 de novembro), a portuguesa Ana Margarida de Carvalho (11 de novembro), a pernambucana Lenice Gomes (13 de novembro), o cartunista mineiro Ziraldo (16 de novembro), a editora franco-brasileira Paula Anacaona (17 de novembro) e as norueguesas Marta Breen e Jenny Jordahl (17 de novembro). No dia 10 de novembro, a Feira recebe o 3º Encontro de Influenciadores Literários e Seguidores, com a presença das booktubers e escritoras Bel Rodrigues e Paola Aleksandra.

Horário de funcionamento

Área Infantil

Bancas: 9h30 às 20h30

Programação: 9h às 20h30

Área Geral e Internacional

Dias úteis e domingo: 12h30 às 20h30

Sábado: 10h às 20h30

Acessibilidade
A Estação da Acessibilidade, instalada na Praça da Alfândega, ao lado da Central de Informações, oferece, entre outros serviços, passeios guiados para cegos e surdocegos, tradução em libras e empréstimo de cadeiras de rodas.

Espaços

As atividades acontecem no Clube do Comércio, Memorial do Rio Grande do Sul, Teatro Carlos Urbim, QG dos Pitocos, Centro Cultural CEEE Erico Verissimo, Auditório da Livraria Paulinas, Auditório da Inspetoria da Receita Federal, Theatro São Pedro, Espaço do Conhecimento Petrobras, Biblioteca Pública do Estado e Teatro Dante Barone da Assembleia Legislativa do Rio Grande Sul.

A 64ª Feira do Livro de Porto Alegre é uma realização da Câmara Rio-Grandense do Livro em parceria com Ministério da Cultura e Secretaria de Estado da Cultura, Turismo, Esporte e Lazer. Patrocinadores máster: Braskem, BNDES, Cia. Zaffari. Banco Oficial da Feira: Banrisul Vero. Patrocinador Especial da Praça de Alimentação: Dado Bier. Patrocinador Especial do Teatro Carlos Urbim: Agibank. Patrocinador Especial do Espaço do Conhecimento: Petrobras. Apoio: Prefeitura de Porto Alegre. Financiamento: Pró-cultura RS, Secretaria de Estado da Cultura, Turismo, Esporte e Lazer, Governo do Estado do Rio Grande do Sul.

Sobre a Feira do Livro de Porto Alegre
Criada por iniciativa dos livreiros e editores gaúchos com apoio do jornalista Say Marques, diretor-secretário do Diário de Notícias, a Feira do Livro de Porto Alegre foi inaugurada em 1955. O evento é considerado referência no país por seu caráter democrático e pela consistência do trabalho que desenvolve na área da formação de leitores e de mediadores da leitura, além de programação cultural 100% gratuita. Realizada desde sua primeira edição na Praça da Alfândega, Centro Histórico da capital gaúcha, a Feira é dividida em Área Geral, Área Internacional e Área Infantil e Juvenil. Centenas de escritores, ilustradores, contadores de histórias e outros profissionais participam do evento, que conta com sessões de autógrafos, mesas-redondas, oficinas, palestras e programações artísticas, entre outras atividades. Alguns desses eventos são realizados no Memorial do Rio Grande do Sul, Santander Cultural, Centro Cultural CEEE Erico Verissimo, Auditório da Livraria Paulinas, Auditório do Museu de Artes do Rio Grande do Sul e Auditório da Inspetoria da Receita Federal.

Em 2006, a Feira do Livro de Porto Alegre recebeu a medalha da Ordem do Mérito Cultural, concedida pela Presidência da República, que a reconheceu como um dos mais importantes eventos culturais do Brasil. Um ano antes, havia sido declarada bem do Patrimônio Cultural Imaterial do Estado e, em 2010, foi o primeiro bem registrado, pela Prefeitura de Porto Alegre, como integrante do Patrimônio Histórico e Cultural Imaterial da cidade.

Sobre a Câmara Rio-Grandense do Livro
A Câmara Rio-Grandense do Livro é uma sociedade civil sem fins lucrativos, que tem por objetivo unir entidades e empresas que trabalham pelo livro, promovendo sua defesa e seu fomento, a difusão do gosto pela leitura, a formação de leitores e o fortalecimento do setor livreiro. A entidade conta com mais de 140 de associados, entre editores, livreiros, distribuidores e outras instituições que se dedicam à produção, à comercialização e à difusão do livro, todas com sede ou filial no Rio Grande do Sul.

Retomada do espaço público: a campanha da 64ª Feira do Livro de Porto Alegre

Livro Livre, um mundo na praça. Este é o slogan da 64ª Feira do Livro de Porto Alegre, que acontece de 1º a 18 de novembro de 2018. Na última quinta-feira (18) foi lançada a programação da feira, além da apresentação da campanha para esta edição, no Centro Cultural da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS).

Crédito: Diego Lopes

 

Em nome da universidade, vice-reitora e patrona da 57ª edição da Feira do Livro, Jane Tutikian, recebeu os presentes e partilhou o que espera do futuro da literatura no Brasil. “Gostaria de saudar a todas autoridades presentes, é uma honra da Universidade em recebê-los. Como escritora e patrona – não tem isso de ex-patrono – é uma alegria imensa em recebê-los aqui na minha casa. Nós abrimos as portas para os amigos dos livros, para os que produzem livros, e não importa o que vai acontecer: a literatura é muito forte, a literatura nunca foi inocente e não vai ser agora que ela vai ser. A literatura é imortal. Cada livro é patrimônio de toda civilização, e é com isso que a nossa Feira chega a sua 64ª edição”, falou.

Crédito: Diego Lopes

 

O presidente da Câmara Rio-Grandense do Livro, Isatir Bottin Filho, agradeceu a presença dos amigos do livro e falou sobre as expectativas da feira. “Este ano, nosso convidado de honra é a República Tcheca, agradeço a presença do cônsul Fernando Lorenz. Este momento será marcado pela comemoração de várias efemérides, além de forte representatividade de tchecos no Estado do Rio Grande do Sul, é um país com alto índice de leitores, vamos conhecer um pouco da sua cultura. O tema abordado na campanha é a praça como espaço público e fonte de conhecimento, serão mais de 500 atividades gratuitas, entre oficinas, mesas de debate, palestras e espetáculos teatrais. Estão previstas mais de 650 sessões de autógrafos com mais de dois mil autores. Com uma programação muito conectada com o momento atual”, disse.

Crédito: Diego Lopes

 

Para apresentar a campanha da 64ª Feira do Livro, a designer gráfico Daiana Christ contou todo o processo. “O nosso projeto começou com uma conversa, e surgiu uma percepção sobre o abandono da Praça da Alfândega. Porém, a praça vira um oásis durante a Feira do Livro. Ela humaniza a praça, chama as pessoas a tomarem posse do espaço. Notamos que o público da Feira é muito amplo, de idade, de condição financeira, mas notamos um ponto em comum: ele quer ser surpreendido com experiências. Assim, buscamos estabelecer uma relação afetiva do público com a Feira e com a praça, por meio de materiais gráficos. Nossa ideia foi de retomar o charme da Praça da Alfândega, com recursos retrô, caligrafia e lettering, um projeto todo manual, aquarela. Todos sabem que, durante a Feira, os livros estão no meio do caminho”, explicou.

Em parceria com a CRL, a ESPM-Sul fez a cobertura para as redes sociais da Feira. Além disso, a Co.De – Comunicação e Design Jr., um laboratório experimental voltado à produção publicitária, fez o VT oficial da Feira.

A 64ª Feira do Livro de Porto Alegre é uma realização da Câmara Rio-Grandense do Livro em parceria com Ministério da Cultura e Secretaria de Estado da Cultura, Turismo, Esporte e Lazer. Patrocinadores máster: Braskem, BNDES, Cia. Zaffari. Banco Oficial da Feira: Banrisul Vero. Patrocinador Especial da Praça de Alimentação: Dado Bier. Patrocinador Especial do Teatro Carlos Urbim: Agibank. Patrocinador Especial do Espaço do Conhecimento: Petrobras. Apoio: Prefeitura de Porto Alegre. Financiamento: Pró-cultura RS, Secretaria de Estado da Cultura, Turismo, Esporte e Lazer, Governo do Estado do Rio Grande do Sul.

Maria Carpi é a patrona da 64ª Feira do Livro de Porto Alegre

A poeta Maria Carpi é a patrona da 64ª Feira do Livro de Porto Alegre. O anúncio foi feito na noite desta quinta-feira (18), no Centro Cultural da Ufrgs, com a presença de representantes de entidades públicas e privadas da área cultural, de escritores, de associados da Câmara Rio-Grandense do Livro e da imprensa.

Após o anúncio, realizado pela antecessora, Valesca de Assis, a patrona foi ovacionada pelo público e recebeu flores. “Eu agradeço muito essa honra que a Câmara Rio-Grandense do Livro, as entidades de cultura e meus leitores me proporcionaram. Eu publiquei com 50 anos de idade meu primeiro livro, então sempre digo que que a poesia esperou por mim. Pois a Feira do Livro também esperou por mim”, celebrou a patrona, que costuma dizer que é poeta desde o ventre de sua mãe. A escritora também contou que perguntou aos filhos sobre ser patronável. “O meu filho caçula me disse ‘se tu não ganhar, por favor não vota para casa”, brincou, pedindo aos patronáveis que caminhem junto com ela pela praça. Neste ano, além de Maria Carpi,  os escritores Caio Riter, Celso Gutfreind, Claudia Tajes, Leticia Wierzchowski integraram o grupo de patronáveis.

Nascida em Guaporé, Rio Grande do Sul, em 1939, Maria Carpi estreou na literatura em 1990, aos 51 anos. Uma das escritoras mais respeitadas da poesia contemporânea brasileira, recebeu o reconhecimento da crítica através de diversos prêmios e distinções. Entre eles, figuram a Menção Honrosa no Casa de las Américas em 1999, em Cuba; o Revelação da Associação Paulista dos Críticos de Arte em 1990, o Erico Veríssimo em 1991, por Desiderium Desideravi; vencedora quatro vezes do Prêmio Açorianos de Literatura, categoria Poesia. Além desses, foi três vezes premiada pela Associação Gaúcha dos Escritores, Livro do Ano, categoria Poesia, em 2004, 2006 e 2007. Essa última obra obteve no ano anterior, 2006, a premiação Livro do Ano – categoria Poesia – pela Rede Pampa, Nacional e Sul. Publicou obras como Os cantares da semente (1996), A migalha e a fome (2000) e O cego e a natureza morta (2016).

Sobre a escolha do patrono

A primeira etapa do processo de escolha do patrono ou patrona da 64ª Feira do Livro de Porto Alegre se estendeu de 5 a 23 de setembro de 2018. Cada uma das 130 empresas associadas à Câmara Rio-Grandense do Livro (editoras, livrarias, creditistas e distribuidoras de livros), além de patronos de Feiras anteriores e ex-presidentes da Câmara Rio-Grandense do Livro (CRL), indica cinco autores para que concorram ao título de patrono da 64ª Feira do Livro de Porto Alegre. Os cinco escritores mais votados são indicados como patronáveis e integram a segunda etapa da votação. Nesta fase, participaram as empresas associadas e diretoria da CRL, patronos de feiras anteriores, representantes da comunidade cultural (reitores de universidades, diretores de faculdades e titulares de entidades culturais e sociais envolvidas com a questão do livro, todas sediadas no Rio Grande do Sul) e o público em geral, através de urnas disponibilizadas em livrarias pelo Estado.

Texto – Thaís Seganfredo

Foto – Diego Lopes

Patronos prestigiam cerimônia de anúncio da sucessora

Patronos de Feira anteriores estiveram presentes na cerimônia que anunciou a poeta Maria Carpi como a patrona da 64ª Feira do Livro de Porto Alegre na noite desta quinta-feira (18). Participaram do evento Dilan Camargo (patrono em 2015), Luiz Coronel (patrono em 2012), Cíntia Moscovich (patrona em 2016), Jane Tutikian (patrona em 2011) e Valesca de Assis (patrona em 2017). Confira a lista de todos os patronos anteriores aqui.

Ainda antes da apresentação, Jane lembrou que cada livro é imortal e um patrimônio de toda civilização. “Patronáveis, um grande beijo e estou torcendo por todos”, disse. Depois foi a vez de  Valesca de Assis agradecer ao período que passou como patrona e revelou que para ela foi uma renovação, um retorno àquela coragem da época em que era universitária quando lutava pela democracia. “Eu senti aquele mesmo entusiasmo, foi uma Feira de resistência e continuará sendo”. Como conselho para a nova patrona, Valesca fala que ela deve manter o sorriso e aproveitar a Feira, porque é um grande momento.

Texto – Rafael Gloria

Caubóis apaixonados de Janice Diniz marcam presença na Feira

A escritora Janice Diniz vem a Feira do Livro de Porto Alegre para falar sobre o seu novo livro, intitulado “Bruto e Apaixonado”, selo Harlequin/ Harper Collins. O evento acontece no dia 11 de novembro, às 15h30, no Salão de Bridge do Clube do Comércio e conta também com as presenças de Evy Maciel e Raquel Cristina Homem.  “Bruto e apaixonado” é o primeiro volume da série Irmãos Lancaster.

O livro conta história de Natália Esteves, que é enviada a uma cidadezinha do Mato Grosso com a difícil missão de demitir alguns funcionários de uma empresa . Mas os nativos de Santo Cristo não estão dispostos a deixar que uma executiva da cidade grande mude a vida local e decidem se preparar para expulsá-la, custe o que custar. É aí que entra Mário Lancaster, um sedutor caubói, que depois de ser afastado dos rodeios e perder o pai em um acidente,  assumiu a fazenda da família, de grande influência na cidade, onde mora com a mãe. O povo de Santo Cristo acha que ele é a pessoa certa para seduzir Natália e convencê-la a deixar a fábrica em paz.

Bruto e Apaixonado, de Janice Diniz

  • Capa comum: 256 páginas
  • Editora: Harlequin
  • ISBN-10: 9788595082885
  • ISBN-13: 978-8595082885

Jô Bilac marca presença nas homenagens aos 160 anos do Theatro São Pedro

Dentro da programação da 64ª Feira do Livro de Porto Alegre, no dia 15 de novembro, às 17h, na Sala de Música do Multipalco do Theatro São Pedro, acontece o encontro com o dramaturgo carioca Jô Bilac. Apesar de ter pouco mais de 30 anos, Bilac é um dos nomes mais sólidos do teatro no Brasil. Aos 20 anos já tinha menções honrosas em suas criações e, hoje, seus textos são referência na dramaturgia brasileira. Junto de Carolina Pismel, Júlia Marini, Paulo Verlings e Vinicius Arneiro fundou a Companhia Teatro Independente, em 2006, responsáveis por peças como “CACHORRO!” e “REBÚ”.

Na atividade Feira Fora da Feira: Theatro São Pedro, 160 anos de dramaturgia, Jô Bilac comentará algumas de suas obras: “Insetos”, “Conselho de Classe”, “Os Mamutes” e “Alguém acaba de morrer lá fora”. A atriz Valquíria Cardoso e o ator Alex Limberger farão leituras de textos do dramaturgo.

Feira Fora da Feira: Theatro São Pedro, 160 anos de dramaturgia – Presença de Jô Bilac
Data: 15 de novembro
Horário: 17h
Local: Sala de Música do Multipalco do Theatro São Pedro

A dramaturgia em evidência na Feira do Livro

Coletivo As DramaturgA – Crédito: Coletivo As DramaturgA/Facebook

Neste ano, a dramaturgia é um dos grandes eixos da programação da 64ª Feira do Livro de Porto Alegre, que ocorre de 1º a 18 de novembro de 2018. A homenagem aos 160 anos do Teatro São Pedro, numa parceria entre a Feira do Livro e a EDIPUCRS, são um dos destaques das atividades. Todavia, a nova geração de dramaturgos que começou um trabalho nesses últimos anos, caso do Coletivo As DramaturgA, também estarão na Feira.

Confira alguns destaques da programação e sessões de autógrafos dentro dessa temática.

Seminário de Dramaturgia
15, 16, 17 e 18 de novembro
Local: Sala de Música do Multipalco do Theatro São Pedro

15 de novembro (quinta-feira)
Das 10h às 12h – Oficina de Crítica, com Antônio Hohlfeldt (módulo 1)
A oficina procura apresentar um conjunto de conceitos em torno da atividade de crítica de artes, em especial a crítica de artes cênicas. Vou falar, também, no trabalho em si de assistir ao espetáculo e escrever o artigo. Como organizá-lo, suas partes, elementos a serem focados, etc. Do primeiro para o segundo dia, pedirei que os integrantes da oficina produzam um artigo e no segundo dia discutiremos tais textos em conjunto

Das 14h às 16h – Oficina Teatro Político – a dramaturgia como reflexo do presente, com Diones Camargo
Nas últimas décadas, o Teatro brasileiro esteve vagando entre dois extremos: ou hipnotizado pela evasão do teatro comercial ou soterrado por propostas de experimentação inócuas e igualmente afastadas da realidade social. Diante dos terríveis acontecimentos que assolam o país, como pode o Teatro reafirmar seu potencial como espaço de questionamento do presente? Abordando alguns clássicos da dramaturgia nacional e mundial, o dramaturgo e roteirista Diones Camargo (A Mulher Arrastada, Último Andar, A Colmeia) pretende mapear alguns dos grandes momentos do teatro político das últimas décadas, de modo a conclamar autores, diretores, estudantes ou interessados em dramaturgia a lançarem nas páginas, no palco e nas telas suas vozes autorais que revelem ao mundo os medos e anseios da nossa época e que reflitam a nossa própria e conturbada realidade.

17h – Presença de Jô Bilac
O dramaturgo faz comentários sobre suas obras (Insetos, Conselho de Classe, Os Mamutes e Alguém acaba de morrer lá fora) com leituras de textos por Valquíria Cardoso e Alex Limberger.

16 de novembro (sexta-feira)
Das 10h às 12h – Oficina de Crítica, com Antônio Hohlfeldt (módulo 2)

Das 13h às 16h – Oficina Composição dramatúrgica – práticas de escrita cênica, com Patrícia Fagundes
Em uma dinâmica teórico-prática, a oficina aborda procedimentos de escrita cênica a partir da experiencia da ministrante como compositora dramatúrgica e encenadora em diversas montagens da Cia Rústica, assim como de sua experiencia como docente de Direção Teatral no DAD/ UFRGS. Uma dramaturgia criada junto à cena, onde movimento, palavra, corpo, política e est(é)tica dialogam na festiva e artesanal experiência de fazer teatro no século XXI no sul do Brasil, inventando as próprias narrativas. Como foco do workshop, práticas de escrita suada, produção biográfica e colagem.

16h – Guerra da Urina, de Altair Martins, EDIPUCRS
Leitura cênica pelo Grupo de Teatro da PUCRS
18h – Mesa redonda sobre o livro, na Sala Oeste do Santander Cultural
19h30min – Sessão de autógrafos na Praça de Autógrafos da Feira

17 de novembro (sábado)
14h – Leituras dramáticas dos textos das dramaturgas editadas pela EDIPUCRS:
Viviane Juguero – “Lacatumba”
Lourdes Kauffmann – “Quem é você?”
Dedé Ribeiro – “Bolo no casamento” / “Aero plano”

16h20 até 18h:
Fernanda Moreno – “Diálogos nas folhas em branco” / “Dog day”
Patsy Cecato – “Mulheres Pessegueiro”
Natasha Centenaro – “Duas vezes dramática”
Patrícia Silveira – “Em um tempo aberto”

18 de novembro (domingo)
14h – Leituras dramáticas dos textos das dramaturgas editadas pela EDIPUCRS
Elisa Lucas – “Histórias de uma mala só”
Jessica Lusia – “Telefones úteis em caso de emergência”
Stella Bento – “Duas histórias e um programa de TV”

16h20 até 18h
Jessica Barbosa – “Mergulho cego em piscina vazia”
Virginia Shabbach – “Virgínias”
Carina Corá – “Lobo de óculos – Trilogia onírica”
Patrícia Silveira – “Camille no exílio”

Sessões de Autógrafos
3 e 17 de novembro
Local: Praça de Autógrafos

3 de novembro
17h30min – Praça de Autógrafos
Livro “Casa do Artista Riograndense – memória viva do radioteatro em Porto Alegre – Um abrigo de muitas histórias” (Casa do Artista Riograndense), autógrafos de Carla Beatriz Menegaz e Wilson Roberto Gomes.
Com autoria da museóloga Carla Menegaz, a publicação inclui um CD com peças de radioteatro dos moradores e artistas veteranos do rádio gaúcho. A autora se baseou em documentos, fotografias antigas, recortes de jornais e revistas, além de depoimentos de personagens que fizeram parte da trajetória da Casa.

17 de novembro
18h30min – Praça de Autógrafos
Livro “Minidicionário de teatro e circo” (AGE Editora), autógrafos de Vanja Ca Michel.
Dividido em dois capítulos que contemplam o teatro e o circo, o conteúdo é resultado de pesquisa, fruto dos mais de 30 anos de trabalho da autora. É indicado para estudantes, professores, artistas e apaixonados pelo teatro e circo. O repertório usado vem ao encontro de diversos propósitos culturais: conservar a memória da identidade artística, compreender o significado das palavras, ampliar o conhecimento, e incentivar a pesquisa e a formação profissional.

17 de novembro
19h – Praça de Autógrafos
O coletivo As DramaturgA lançará a “Coleção de Dramaturgia Feminina” (EDIPUCRS), com sessão de autógrafos na 64ª Feira do Livro. A Coleção tem coordenação geral do professor da PUCRS Antônio Hohlfeldt e é organizada por Fernanda Moreno, Natasha Centenaro e Patrícia Silveira, do Coletivo. Serão 16 livros, de cada uma das autoras do Coletivo (algumas lançarão mais de uma obra), podendo ser vendidos em conjunto ou separadamente. Os textos são inéditos no formato livro, mas alguns são de peças já encenadas e premiadas.

“Lobo de óculos – Trilogia onírica”, de Carina Corá
“Bolo no casamento” e “Aero plano”, de Dedé Ribeiro
“Histórias de uma mala só”, de Elisa Lucas
“Dog day” e “Diálogos nas folhas em branco”, de Fernanda Moreno
“Mergulho cego em piscina vazia”, de Jéssica Barbosa
“Telefones úteis em caso de emergência”, de Jéssica Lusia
“Quem é você?”, de Lourdes Kauffmann
“Duas vezes dramática”, de Natasha Centenaro
“Em um tempo aberto” e “Camille no exílio”, de Patrícia Silveira
“Mulheres pessegueiro”, de Patsy Cecato
“Duas histórias e um programa de TV”, de Stella Bento
“Virginias”, de Virgínia Schabbach
“Lacatumba”, de Viviane Juguero

Política, História, cidadania e meio ambiente são destaques na Feira do Livro

 

Política, história e meio ambiente são assuntos de destaque da 64º Feira do Livro de Porto Alegre, que ocorre de 1º a 18 de novembro de 2018. Temas como Maio de 1968, o ano de 2013 no Brasil, a questão da agricultura serão debatidas em vários painéis durante o evento.

Fizemos uma lista com alguns dos destaques, confira:

2 de novembro, às 16h, na Sala O Retrato no CCCEV – “Lavouras transgênicas no Brasil – A manipulação das normas legais e as repercussões socioambentais”

A  Programação envolve o lançamento de livro jurídico , com a presença do autor, além de publicação da Universidade de Murcia/Espanha em parceria da Sociedade Espanhola de Agroecologia, Sociedade Latinoamericana de Agroecologia e a Associação Brasileira de Agroecologia. Com José Renato de Oliveira Barcelos, Murilo Souza e Suzi Cavalli

3 de novembro, às 17h30, na Sala O Retrato no CCCEV – “Atlas do Agronegócio, geopolítica empresarial, agrotóxicos e agroecologia”

Apresentação de estudos e exame de casos publicados pela Universidade Estadual de Goiás e pelas Fundações Rosa Luxemburgo e Heinrich Böll. Com Verena Glass, Maureen Santos e Murilo Souza

4 de novembro, às 15h, na Biblioteca do Clube do Comércio (3º andar) – “Leituras de História Cultural: memória, patrimônio e políticas culturais”

Considerando-se as políticas culturais empreendidas no campo do patrimônio em países do Cone Sul, objetiva-se refletir em que medida dialogam com os movimentos sociais e as demandas de diferentes grupos pelo direito à memória e à diversidade cultural. Com Hilda Jaqueline Fraga e Adriana Conceição Santos dos Santos  sob a mediação de Nádia Maria Weber Santos.

4 de novembro, às 16h30, na Biblioteca do Clube do Comércio (3º andar) – “Cidade e democracia: aprendizados de vida. Homenagem póstuma a Cezar Busatto”

Uma proposta de reflexão sobre que tipo de democracia, de cidade e de mundo está em construção. Convidados com a mediação de Luciano Alabarse.

7 de novembro, às 17h, no Salão de Bridge do Clube de Comércio (2º andar) – “Neoliberalismo – desmonte do Estado Social”

A globalização hoje, neoliberal, simula repetir o liberalismo econômico. que, no seu contexto histórico, foi um avanço político-jurídico incontestável. Menosprezando o meio ambiente e trabalhando pela eliminação dos direitos fundamentais sociais, o Neoliberalismo é um manifesto desrespeito à Constituição. Debate com o autor, Plauto Faraco de Azevedo, e Jayme Weingartner Neto.

9 de novembro, às 15h, na Biblioteca do Clube do Comércio (3º andar) – “O Clímax da década de 1960”

Em foco, os anos 60, tempos revolucionários, turbulentos, transformadores e criativos, que mudaram as artes, as posturas, a política, os direitos e os costumes. Com Virgílio Pedro Rigonatti.

9 de novembro, às 16h30, na Biblioteca do Clube do Comércio (3º andar) – “Precisamos falar sobre 2013”

Os protestos de 2013 estão completando cinco anos, e deixaram um legado complexo e contraditório que merece ser analisado e discutido. Com Alexandre Haubrich, Matheus Gomes e Rafael Guimaraens.

11 de novembro, às 17h, no Salão de Bridge do Comércio (2º andar) – “1968: de maio a dezembro”

O que aconteceu há 50 anos no Brasil e no mundo que merece reflexão e lembrança? Com Juremir Machado da Silva, Álvaro Nunes Larangeira e Christina Musse.

13 de novembro, às 17h, no Salão de Bridge do Clube do Comércio (2º andar) – “Em defesa do bem comum”

Apresentação do livro e debate sobre alternativas à lógica do capitalismo neoliberal de mercadorização e apropriação privada dos bens comuns sociais e ambientais. Com Thiago Ingrassia Pereira, Marcos Todt, Marcello Carrión, Simoni Medeiros  e autores do livro.

16 de novembro, às 15h, no Auditório Barbosa Lessa no CCCEV – “Fake News e o comportamento digital: reflexão sobre consequências”

Uma reflexão sobre o comportamento digital e suas consequências judiciais na criação e compartilhamento de notícias falsas. Márcia Kern e Leonardo Zanatta.

16 de novembro, às 15h30, no Salão de Bridge do Clube do Comércio (2º andar) – “Agropecuária: vocação rio-grandense de todos os tempos/Agropecuaria: vocación riograndense de todos los tiempos”

Apresentação de estudo histórico, lendário e econômico da agropecuária gaúcha, desde os Sete Povos das Missões até os tempos atuais. Com Alcy Cheuiche, Floriano Isolan e Gilmar Tietbohl.

16 de novembro, às 16h, na Sala O Retrato na CCCEV – “Como são governadas as cidades brasileiras?”

A Política, As Políticas e os Controles: Como são governadas as cidades brasileiras? Com André Marenco, Maria Izabel Noll, Luciana Leite Lima, Cláudia De Cesare e Ligia Mori Madeira


17 de novembro, às 15h30, no Salão de Bridge do Clube do Comércio (2º andar) – “Nossas águas no olhar de dois fotógrafos brasileiros”

A  transposição do eixo leste do Rio São Francisco e  o tema da água no RS, numa visão poética, mas de alerta para a urgência de conservar o que ainda temos de beleza em nossas águas. Com e Dulce Helfer e Joel Lopes.

 

17 de novembro, às 18h, na Biblioteca do Clube do Comércio (3º andar) –  “A Justiça do Trabalho e os trabalhadores no Rio Grande do Sul”

Compartilhar discussões em relação ao funcionamento da Justiça do Trabalho no Rio Grande do Sul, especialmente em relação ao poder normativo e as formas como sindicatos, advogados e trabalhadores buscavam a concretização do direito. Com Alisson Droppa,Clarice Gontarski Speranzae mediação de Micaele Irene Scheer

 

18 de novembro, às 14h30, no Salão de Bridge do Clube do Comércio (2º andar) – “Agricultura familiar, desenvolvimento e participação social – ações coletivas horizontalizadas”

Os desafios impostos à Agricultura Familiar, tendo em vista aspectos políticos envolvendo modelos de produção avaliados no Relatório Verde 2018, elementos de Saúde Coletiva – Desenvolvimento e (In)Sustentabilidade no Rural e avanços do Programa de Aquisição de Alimentos – PAA. Implicações sobre população urbana e perspectivas da sociedade civil organizada. Ação coletiva horizontalizada em resistência ao controle empresarial de instituições públicas e à privatização de espaços públicos na cidade de Porto Alegre. Trajetória, principais embates e desafios do Coletivo a Cidade Que Queremos – Porto Alegre. Com Lino de David, Marilise Oliveira Mesquita e Suzi Cavalli.

Paula Anacaona, uma francesa apaixonada pela cultura brasileira

Aos 24 anos de idade, a francesa Paula Anacaona aprendeu a ler em português. Desde então, ela vem estudando e se aprofundando em autores brasileiros, com atenção especial na literatura marginal e feita no nordeste. Em 2009, fundou a Editora Anacaona, voltada justamente a apresentar aos franceses autores daqui. A editora também já traduziu mais de 40 livros do português para o francês, de autores como Rachel de Queiroz, Marcelino Freire e Conceição Evaristo.

A editora, que atua a partir de sua perspectiva enquanto mulher negra, publicou em 2018 seu primeiro romance, “Tatou”. O livro se passa  entre seus dois países de coração, França e Brasil, e aborda os temas que lhe são caros, especialmente as questões de raça, gênero e classe. A francesa também é autora de obras juvenis sobre Jorge Amado e Maria Bonita.

Paula Anacaona participará da 64ª Feira do Livro de Porto Alegre no dia 17 de novembro, às 18h30, em uma conversa com o público no Salão de Bridge do Clube do Comércio, 2º andar, com mediação de Fernanda Bastos. Às 19h30min, autografa “Tatou” na Praça de Autógrafos. A participação da autora na Feira acontece com apoio da Aliança Francesa de Porto Alegre.

Os feminismos na Feira do Livro: protagonismo, diversidade e representatividade

Uma programação repleta de autoras é um dos destaques da 64º Feira do Livro de Porto Alegre, que ocorre de 1º a 18 de novembro de 2018. O protagonismo das mulheres, com suas diferentes vivências, estará presente em mesas, saraus, oficinas e homenagens durante toda a programação. Partindo da interseccionalidade, as atividades propõem também reflexões através da perspectiva do feminismo, das mulheres LGBTIs e das mulheres negras.

Marcam presença nesta edição autoras como  a ruandesa de expressão francesa Scholastique Mukasonga e a francesa Paula Anacaona, editora da Editions Anacaona, especializada em literatura marginal brasileira. As norueguesas Marta Breen e Jenny Jordahl, autoras de uma graphic novel que celebra a história da luta feminista em todo o mundo, também estão confirmadas.

Confira alguns destaques da programação e sessões de autógrafos.

2 de novembro, 18h – Auditório Barbosa Lessa no CCCEV
Presença da poeta e filósofa Viviane Mosé.

2 de novembro, 18h30min – Praça de Autógrafos
Sessão de autógrafos do livro “Recortes para álbum de fotografia sem gente” (Não Editora), de Natália Borges Polesso.

6 de novembro, das 9h às 16h30
Seminário: Arte, Feminismos e Emancipação – Políticas do conhecimento
Parceria com a Bienal do Mercosul.

8 de novembro, 15h – Biblioteca do Clube do Comércio – 3º andar
Vozes femininas dissonantes: Florbela Espanca e Maria Firmina dos Reis
Jornal da Universidade apresenta sarau com leituras dramáticas e comentadas das obras das autoras incluídas entre as leituras obrigatórias do Vestibular da UFRGS em 2019.

 


Buchi Emecheta

 

9 de novembro, 17h – Auditório Barbosa Lessa no CCCEV
Buchi Emecheta: o que a literatura da Nigéria pode ensinar ao Brasil
Uma conversa sobre os recém-lançados romances “As alegrias da maternidade” e “Cidadã de segunda classe”. Com Eliane Marques e convidados.

 


Scholastique Mukasonga

 

10 de novembro, 15h – Auditório Barbosa Lessa no CCCEV
A marca do genocídio de Ruanda na literatura de Scholastique Mukasonga
Presença da autora considerada uma das maiores vozes literárias da África. Scholastique Mukasonga conviveu desde a infância com a violência e a discriminação oriundas dos conflitos étnicos em seu país, o que marcou fortemente sua trajetória na literatura. Mudou-se para a França, onde vive até hoje. Ganhadora de vários prêmios literários. Na Feira do Livro, é apresentada por Cláudia Laitano. A atividade acontece com apoio da Aliança Francesa Porto Alegre.

11 de novembro, 18h – Salão de Bridge do Clube do Comércio – 2º andar
Presença portuguesa: Ana Margarida de Carvalho: Histórias de mares, naufrágios e sobrevivências
“Não se pode morar nos olhos de um gato” Romance multipremiado é o primeiro da autora portuguesa a ser publicado no Brasil.

12 de novembro, 18h30min – Praça de Autógrafos
Sessão de autógrafos do livro “Mulheres cuidadoras 2: estudos relacionados sobre gênero no RS” (Editora do IPA). Com Eliane S. Gonçalves Gibikoski.

14 de novembro, 14h30 – Biblioteca do Clube do Comércio – 3º andar
Vozes pioneiras do Memorial da Academia Literária Feminina do RS
Poemas e fragmentos de livros de escritoras brasileiras do acervo da ALFRS, selecionados e apresentados em forma de Sarau pelas acadêmicas.

15 de novembro, 19h30 – Teatro Carlos Urbim
CRê TINAS e banda apresentam Serenata de Encomenda
um repertório eclético que retrata o universo feminino num diálogo sensível, irônico, ativista e romântico. A banda une três sopranos e três músicos num projeto experimental, bem humorado e irreverente. Direção cênica Evandro Soldatelli.

17 de novembro, 14h – Sala O Retrato no CCCEV
Oficina de ilustração Noruega/Brasil
Trabalhará a complexidade de narrativas através da diversidade, com Jenny Jordahl e Carol Rossetti.

 


Marta Breen e Jenny Jordahl

 

17 de novembro, 18h – Auditório Barbosa Lessa no CCCEV
Feminismo, quadrinhos e representatividade – experiências com artivismo no Brasil e na Noruega
Presença de Marta Breen e Jenny Jordahl, autoras do livro “Mulheres na luta: 150 anos em busca de liberdade, igualdade e sororidade”.

17 de novembro, 14h – Biblioteca do Clube do Comércio – 3º andar
Leia escreva e publique como uma mulher: presença feminina nas publicações da Editora da UFRGS
A mulher na produção científica pelo olhar das autoras das obras “Vozes femininas na Filosofia”, “Saúde coletiva, desenvolvimento e (in)sustentabilidades no rural” e “Pesquisas e Proposições Pedagógico-Curriculares na Escolarização Inicial da Educação Básica”.

17 de novembro, 15h30min – Praça de Autógrafos
Sessão de autógrafos do livro “Vozes femininas na filosofia” (Editora da UFRGS). Com Ana Rieger Schmitt, Gisele Dalva Secco, Inara Zanuzzi e Katarina Peixoto.

17 de novembro, 17h30min – Memorial do RS – 1º Andar
Sessão de autógrafos do livro “Empreendedorismo feminino: protagonistas de nossas vidas” (vol. 2). Com Ionara Rech, Letícia Hoppe e Maiara Monteiro.

17 de novembro, 18h30min – Salão de Bridge do Clube do Comércio – 2º andar
Presença franco-brasileira: Paula Anacaona
A editora, escritora e tradutora Paula Anacaona discute o lugar da mulher negra na sociedade franco-brasileira, através da observação de suas experiências pessoais  e de sua obra Tatou, que reflete essa inquietação. Mediação de Fernanda Bastos. A atividade acontece com apoio da Aliança Francesa Porto Alegre.

1 2 3 6