A escritora Atena Beauvoir e o roteirista e ativista nos assuntos de gênero, raça e direitos humanos Phelipe Caetano jogam luzes sobre a invisibilidade da literatura de autoria trans no Brasil: os paradigmas do existencialismo francês na epistemologia produzida a partir da própria transperspectiva abre caminhos para uma literatura trans brasileira. Os convidados falam ao público da Feira no dia 18 de novembro, às 16h30min, na Biblioetca do Clube do Comércio.

Atena Beauvoir é educadora, filósofa, palestrante e escritora transexual, autora do livro “Contos Transantropológicos” (independente, 2017/Taverna, 2018) e “Libertê: poesia, filosofia e transantropolgia” (2018). Premiada por sua atuação em defesa e promoção dos direitos humanos de lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais no Rio Grande do Sul; integrante do Núcleo de Estudos e Pesquisas em Educação, Gênero e Sexualidade (NEPEGS) do Instituto Federal do Rio Grande do Sul – Campus Porto Alegre e colaboradora do projeto TransEnem de Porto Alegre.

Posts Relacionados

Deixe uma resposta