Em 2010, Paixão Côrtes foi escolhido patrono da 56ª Feira do Livro de Porto Alegre. O título celebrou a obra de um homem dedicado à cultura do Rio Grande do Sul; por isso, sua morte é sentida com muito pesar pela Câmara Rio-Grandense do Livro. Para a Feira, patrono é para sempre.

O patrono Paixão Côrtes deixa saudade e um legado a ser preservado por quem trabalha pela cultura do nosso Estado.

Nossas condolências aos seus amigos e familiares.

Isatir Bottin Filho
Presidente da Câmara Rio-Grandense do Livro

Posts Relacionados

Deixe uma resposta