Foto: Bere Fischer

País convidado de honra da 64ª Feira do Livro de Porto Alegre, a República Tcheca concluiu sua presença com um dia repleto de atividades. Neste ano, o país comemora o centésimo aniversário do nascimento da Tchecoslováquia independente e os cem anos do reconhecimento diplomático pelo Brasil.

Pavla Havrlíková, cônsul geral da República Tcheca em São Paulo, destaca que esta foi a maior ação do país em um evento cultural no Brasil. “Nossa participação na Feira do Livro de Porto Alegre coincide com o centenário da fundação da Tchecoslováquia. Em todo o mundo, organizamos ações comemorativas onde estamos presentes oficialmente. Por isso, estamos muito felizes em comemorar a data na Feira do Livro de Porto Alegre porque é um projeto que apresenta muitos aspectos da cultura da República Tcheca. A literatura é o principal, mas tivemos também gastronomia, teatro, dança e exposições. É um complexo de atividades que fazem deste o maior projeto de comemoração da República Tcheca no Brasil”

Fernando Lorenz de Azevedo, cônsul da República Tcheca em Porto Alegre, e Pavla Havrlíková, cônsul-geral da República Tcheca em São Paulo. Foto: Diego Lopes

O sucesso de público nas atividades sobre a República Tcheca na Feira encantou a diplomata. “Foi uma surpresa muito positiva porque as salas estavam lotadas. O Theatro São Pedro lotou na apresentação da peça Birds in the House, no dia 3 de novembro. Fomos muito bem acolhidos em Porto Alegre”, conclui, empolgada.

Após diversas mesas sobre história e literatura realizadas na sexta-feira e no sábado, no domingo o dia começou com a apresentação artística do grupo de danças Folclóricas Sonnenschein, que se apresentou na Praça dos Autógrafos com uma dança tradicional do país.

À tarde, a literatura e a história foram destaque no auditório do Margs, começando pela mesa “A República Tcheca por seus livros: Praga na literatura”, na qual Luiz Fernando Destro apresentou a cidade, cenário de várias obras clássicas na literatura.

Luiz Fernando Destro. Foto: Bere Fischer

Obras tchecas também foram tema de palestras neste domingo. “Meninas do Quarto 28”, de Hannelore Brenner, narra uma história de esperança, amizade, sobrevivência e arte em tempos de guerra e foi apresentado por Karen Zolko. Já o livro “As aventuras do bom soldado”, de Jaroslav Hasek, foi tema da mesa da escritora Markéta Pilátová. A obra se passa pouco depois da Primeira Guerra Mundial, na qual o autor lutou, e consiste em uma novela satírica.

Encerrando as atividades, o cônsul honorário da República Tcheca em Porto Alegre, Fernando Lorenz de Azevedo, realizou uma palestra sobre Francisco Waldomiro Lorenc, seu bisavô.  Poliglota e filósofo nascido no Reino da Boêmia, Império Austro-Húngaro (hoje a República Tcheca), Lorenc foi um dos primeiros esperantistas do mundo e o segundo no Brasil. “Trabalhando na lavoura e dando aula numa escola primária no pequeno município do Dom Feliciano, escreveu ainda 72 livros”, relata o cônsul. Na avaliação do consulado honorário, o sucesso das atividades excedeu as expectativas.  “Nós estamos muito felizes e honrados pelo convite. Esperamos que tenhamos contribuído de maneira importante nessa trajetória da Feira do Livro, trazendo um pouquinho do pequeno país no coração da Europa para os gaúchos”.

Texto – Thaís Seganfredo e Vitor Diel
Fotos – Bere Fischer e Diego Lopes

Confira mais fotos aqui.

Posts Relacionados

Deixe uma resposta