Crédito: Diego Lopes


Sirley Amaro, Felipe da Silva Martins, Leonardo Tajes Ferreira, João Heitor da Silva Machado, Fernanda Santos, Bruno da Silva Santos, Delma Gonçalves, Fábio Gonçalves, Ana dos Santos, Fátima Regina Farias, Mamau de Castro, Vanda Moraes, Vinicius Mariano, Wilmar Bueno, Mara Rocha, Isabete Almeida, Indaiá Dillenburg, Josué Goulart, Lilian Rocha, Núria Jesus, Paulo Franquilin, Antonio Carlos Rosa, Carla Ávila, Angela Martins, Selma Wolf, Luciane Chagas, Oscar Henrique Cardoso. 27 nomes, 27 histórias, 27 vidas.

Na tarde de sábado (3) foi lançada a coletânea “Negras Palavras Gaúchas 2”, em cerimônia realizada no Auditório Barbosa Lessa, no CEEE Centro Cultural Érico Verissimo. São poemas, artigos, contos e crônicas de autores negros de cinco regiões do estado do Rio Grande do Sul, das cidades de Porto Alegre, Uruguaiana, Caxias do Sul, Pelotas e Santa Maria. O projeto editorial foi produzido e organizado pelo Grupo Multiétnico de Empreendedores Sociais do RS, em parceria com a Coordenadoria de Igualdade Étnico e Racial do Governo do Estado.

Oscar Henrique Cardoso. Crédito: Diego Lopes

‘“A nós é dado apenas o direito da oralidade, nunca podemos escrever”, fala o jornalista e escritor Oscar, organizador do livro. O descaso e falta de incentivo aos intelectuais negros motivaram a realização do Negras Palavras, a exemplo da Lei 10.639/03, sobre o ensino da história e cultura afro-brasileira e africana, ressaltando a importância da cultura negra na formação da sociedade brasileira.

O evento-celebração contou com a presença da presidente do grupo Multiétnico Cultural, Frankelina Cardoso; da diretora do Departamento de Direitos Humanos e Cidadania (DDHC) da Secretaria de Desenvolvimento Social, Trabalho, Justiça e Direitos Humanos (SDSTJDH), Maria da Graça Paiva; e da coordenadora de Igualdade Étnica e Racial do DDHC/SDSTJDH, Tânia Neves de Paula. Na ocasião foram entregues certificados para os escritores e escritoras da coletânea.

Ao final da entrega, Cardoso disse: “agora estamos chegando no principal momento, quando eu der o sinal vocês fotografem bastante, berrem, façam todo os escarcel possível! Esse é um momento histórico!”. Após a cerimônia no Centro Erico Verissimo, os autores participaram de uma sessão de autógrafos coletiva no Memorial do Rio Grande do Sul.

Crédito: Bere Fischer

Confira a lista dos textos da coletânea Negras Palavras Gaúchas 2:
“Eu não esquecerei” – Ana dos Santos
“Olhos meus” / “Cartão postal” – Angela Martins
“A política brasileira de ações afirmativas: contextualização, desafios e incertezas” – Antonio Carlos Rosa
“Sete anos de azar” – Bruno da Silva Santos
“A princesa também vai ao batuque: notas sobre a contribuição da matriz africana na formação da cidade de Pelotas” –  Carla Silva de Avila
“A cor do meu poema” – Delma Gonçalves
“Brevíssimas considerações sobre desigualdades e reparação” – Fábio Gonçalves
“O tempo” / “Palavras” – Fátima Regina Farias
“Que cor é essa” –  Fernanda Santos
“Mulher, negra, empoderada: ela é o que quiser” – Indaiá Dillenburg
“Minha Vó Rosária I” – Isabete Fagundes Almeida
“O negro em Santa Maria: narrativas invisibilizadas” – João Heitor da Silva Machado
“O cotidiano negro que a Constituição não alcança” – Josué Goulart
“O espaço e o tempo: a representação da negritude no Centro Histórico de Pelotas” – Leonardo Tajes Ferreira
“Colheita” – Lilian Rocha
“Somos descendentes da marca de Caim ou da maldição de Cam: orgulho da cor da pele negra” – Luciane Chagas Silva
“Guerrilheiro da paz” / “O Meu Deus” – Mamau de Castro
“Ser diferente” / “Mulheres negras” – Mara Rocha
“Quilombo Rincão dos Fernandes: espaço de resistência e conhecimento na fronteira oeste do Rio Grande do Sul” – Márcia Goulart
“O guarda da rua” – Núria Jesus
“Assessoria de Direitos Humanos” – Paulo Franquilin
“O papel da mulher na sociedade de Gana e do Brasil” – Selma Barbosa Wolff
“As joias dos casarões: um casamento entre a Ametista e o Morcego do Carnaval” – Sirley Amaro & Felipe da Silva Martins
“O gringo negro na voz quilombola” – Vanda Maria Castro Menezes (Dona Vanda)
“Da desconstrução ao empoderamento em relação à dança de matriz africana” –  Vinicius Gonçalves Mariano
“Negra na saia longa ou no vestido” / “Mar no meu pampa” – Wilmar Bueno

Texto – Airan Albino
Foto – Diego Lopes e Bere Fischer

Mais fotos no Flickr: CerimôniaeAutógrafos

Posts Relacionados

Deixe uma resposta