O jornalista Zeca Camargo contou sua experiência na Índia em mesa realizada no Salão Bridge do Clube do Comércio neste domingo, dia 18 de novembro. A ocasião era o lançamento do livro Índia – Sabores e Sensações, que ele escreveu em parceria com Varunesh Tuli, natural da Índia e que mora entre o Brasil e aquele País  há vinte e cinco anos. O livro é um lançamento da Companhia de Mesa, um selo da editora Companhia de Letras. A mediação foi do jornalista Vitor Diel.

O livro resulta da vontade de Zeca de compartilhar sua paixão pela Índia — os sabores e aromas que se confundem com as lembranças de suas visitas. Reunindo mais de 30 receitas vegetarianas tradicionais e relatos de viagens. “Fiz oito viagens à Índia, a primeira vez não foi das melhores impressões, Nova Dheli era o caos, mas a comida e a dança já me impressionou”, diz. Tuli é casado com uma grande amiga de Camargo e foi assim que eles se conheceram. “Você não sai igual ao que você entrou na Índia, tem gente que não quer voltar nunca mais, tem gente igual a eu que quer voltar sempre”, acredita.

Ele conta que toda a reportagem que fazia na época do Fantástico, se tivesse uma oportunidade iria para a Índia.“Eu tava lá, queria que olhassem para a índia não como um lugar exótico, aliás, detesto essa palavra exótica, parece que é algo que você não quer chegar perto, distante. É para estimular a chegar, viajar de braços abertos, experimentar essa cultura”, acredita.

As receitas são da memória e da família de Varunesh Tuli, e Zeca também ajudou a selecionar e escrever os relatos de viagens que perpassam todo o livro. “São receitas do dia a dia da Índia  e a minha contribuição são as crônicas…Os textos são todos sobre sabores, gostos, experiências e paladares. Eu não sou vegetariano e a gente não queria passar a ideia de que a índia fosse toda vegetariana, então,consome-se carne sim, mas não a de vaca”, relata.

Para ele, cozinha é um ponto de encontro maravilhoso. “A cozinha é um evento, uma desculpa para as pessoas se juntar. Essa é a primeira coisa que eu conto no livro: um episódio em que a mãe do Tuli me vê trabalhando na madrugada, estava hospedado na casa deles na Índia, e quase me obriga a comer, ela faz uma refeição para mim, mas o que ela queria mesmo era conversar”, diz.  

Texto – Rafael Gloria

Fotos – Diego Lopes

 

Posts Relacionados

Deixe uma resposta