Foto: Pedro Heinrich

Na Estação da Acessibilidade aconteceu uma roda de conversa sobre o nanismo e como é a aceitação de suas dificuldades no dia a dia em função de muitos ambientes não estarem preparados para recebê-los. Velvit Ferreira foi quem comandou a roda trazendo experiências suas a partir das dificuldades encontradas durante o processo de diagnóstico do seu filho.
A partir da contribuição de experiências particulares das pessoas a conversa foi sendo conduzida por mães e filhos que convivem diariamente com preconceitos e desafios diários.
Entre os diálogos, foi citado a dificuldade de encontrar especialistas na área da saúde. A descoberta do tipo de nanismo de cada pessoa ainda é um grande problema. Foram citados também a dificuldade de acessibilidade em transportes públicos, em ambientes de trabalho e acadêmicos.

 

Texto de Alessandra Carpinski e João Pedro Argemi – Hub Jornalismo ESPM

Posts Relacionados